««« Rock Forever »»»


10/10/2009


ENDEREÇO NOVO!

Olá, amigos leitores! 

Venho hoje dar a notícia de que o blog Rock Forever não vai mais ser utilizado por mim, pelos seguintes motivos: A estrutura de blogs do UOL, apesar de ser mto boa, tem suas limitações, e como eu estou querendo pregredir na área de programacão de blogs (ser um vulgo blogueiro), resolvi migrar para outro blog.

Não fiquem tristes, pq estou continuando meu trabalho em outro blog, o Absolute Rock! 

(Clique na imagem para acessar o blog)

 

Abraços!

Escrito por ♪ Pєd®o ک. F. & às 06h40
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

23/09/2009


RAUL SEIXAS

RAUL SEIXAS nasceu em 28/06/1945, em Salvador. Filho de família classe média era extremamente caseiro e adorava devorar livros.
Também escrevia suas histórias, todas elas tinham como personagem fixo um cientista maluco: Melô.

Na adolescencia desperta o interesse pela música de Luiz Gonzaga, Elvis Presley e Jerry Lee Lewis. Levado por uma necessidade de "dizer as coisas" funda em 1960 o grupo Os Panteras.
Os shows vão surgindo e tornam-se a banda de rock mais popular da Bahia. Até um convite para gravar um disco pela Odeon no Rio de Janeiro. O LP Raulzito E Os Panteras resulta num grande fracasso de vendas e nada dá certo, voltando Raul para Salvador.
Novamente no Rio, agora para ser produtor da CBS (atual Sony Music) grava o LP anárquico 'Sociedade da Grã Ordem Kavernista Apresenta: Sessão das Dez' com Sérgio Sampaio, Miriam Batucada e Edy Star. Perde o emprego e acaba participando do FIC (Festival Internacional da Canção, 1972). Sua música "Let Me Sing Let Me Sing" foi uma das classificadas.
No ano seguinte o compacto Ouro de Tolo é sucesso e rende a Raul um contrato com a gravadora Polygram para gravação do LP Krig Ha Bandolo. Por causa da sua Sociedade Alternativa ele é convidado a sair do país,Mas o sucesso do LP Gita o traz de volta.


O final dos anos 70 e boa parte dos 80 serão marcados por alguns hits esporádicos (Plunct Plact Zumm, Rock das Aranha), denunciando uma carreira afetada por problemas de saúde.
Mesmo assim Raul participou de 3 importantes Festivais de Música em Águas Claras, São Paulo, (II, III e IV Festival de Iacanga em 1981, 1983 e 1984, respectivamente).


A história de Raulzito segue por mais 21 Lps, dezenas de compactos, contratos em todas as gravadoras majors do país, um livro, "As Aventuras de Raul Seixas na Cidade de Thor", cinco mulheres e tres filhas.Depois de enfrentar muitos problemas pessoais, o alcoolismo foi o causador de uma pancreatite aguda que o levou à morte em 21 de agosto de 1989.
Raul Seixas fundiu o tal rock'n roll com todas as variações rítmicas brasileiras, do xote ao baião, ajudando a criar a cara do rock nacional. Raul falava dele mesmo; tudo o que ele disse ou cantou eram coisas que ele acreditava. Ele era acima de tudo sincero.

Passados estes anos desde sua grande viagem, Raul Seixas continua mais vivo do que nunca. Desde seu falecimento, o número de pessoas interessadas em sua vida e obra vem aumentando considerávelmente. Grupos de todas as faixas etárias e classes sociais se organizam em inúmeros fã clubes criados para homenageá-lo. Casas culturais, praças, ruas e viadutos recebem seu nome. Revistas, posters e cerca de 13 livros enfocando a sua obra foram lançados no mercado.
Todos os títulos de sua imensa discografia já foram relançados em CD e novas coletâneas alcançaram vendas de 100.000 cópias de alguns títulos, e até 250.000 CDs de outros.Programas de rádio e TV, romarias ao Cemitério Jardim da Saudade em Salvador, passeatas (a maior feita anualmente é a da Praça da Sé, em São Paulo) e inúmeros eventos acontecem em todo Brasil nas datas de nascimento e morte, 28 de junho e 21 de agosto, respectivamente.


Nasci em 1945, no final da guerra, portanto minha juventude foi uma juventude pós-guerra necessáriamente. Comecei a usar cabelo de James Dean, blusão de couro e beber Cuba Libre o que espantava meus pais burgueses de classe média:- "Um menino que teve de tudo, nasceu em berço de ouro, mimado, porque age assim?" - meus pais se indagavam.Minha mãe queria que eu fôsse presidente da República e meu pai era chefe de telecomunicações da Viação Férrea Federal da Bahia. Além disso ele sempre foi uma sombra em minha vida. Na realidade, hoje é que ele está sentindo necessidade de se chegar e eu e meu irmão o estamos acatando.Casei 4 vezes e morei um ano e meio com a carioca Tania com a qual não tive filhos. Foi minha 3 ª mulher.Anos 50. Meu pai com sua família viajava por todo interior da Bahia inspecionando estações de trens. Eu ouvia muito Luiz Gonzaga e os repentistas da Estrada de Ferro. Meu irmão e eu tomávamos cachaça escondido junto com os matutos do norte.Na cidade, em Salvador, papai ouvia o Repórter Esso, mamãe colecionava revista O Cruzeiro e ficou muito deprimida quando Marta Rocha perdeu por 2 polegadas a mais. Eu, metido em brigas de turma nos bairros, lambreta e conduite.Naquela época a Bahia estava infestada de americanos que trabalhavam para a Petrobrás. Em 54 surge na América do Norte, Elvis e o Rock 'n Roll caipira além do Blues dos negros do Sul.Os filhos dos gringos me apresentavam esse novo fenômeno através de discos e revistas. Aprendi Blues e Rock antes deste ritmo ter chegado ao Brasil. Além disso aprendi a falar inglês corretamente.Troquei minha lambreta por 2 velhos pares de violão e um contra-baixo de pau: baixo acústico.Perdi a 2a. série do ginásio por três anos para comparecer aos programas de rádio e ao Elvis Rock Club onde se bebia e dublava os artistas americanos.Eu era o único que cantava e tocava ao vivo.

Vídeos:

Raul Seixas - Maluco Beleza:

 

Raul Seixas - Eu Nasci há 10 mil anos atrás

 

Escrito por ♪ Pєd®o ک. F. & às 13h22
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

22/09/2009


THE TESTÁVEIS - O RETORNO!

É com grande prazer que venho lhes informar que a banda The Testáveis voltou à ativa nesse fim de semana! Houve uma apresentação cuja a mesma se reuniu para a comemoração do aniversário de Rafael Pimenta, ex-guitarrista e novo baixista de The Testáveis. Eu ( ♪ Pєd®o ک. F. ♪ ), que até então era somente o letrista da banda, fui nomeado pelo atual baixista, Empresário oficial de The Testáveis, o que chega a ser muito gratificante.

Não foram apenas essas as mudanças que tivemos na formação. Thalis (guitarrista base) e Gustavo (ex-baixista) foram excluídos da banda e em seus lugares entraram respectivamente Vinícius (guitarrista) e Rafael, deixando uma vaga em aberto (que eu vou querer ocupar como guitarrista Riso) além da posição de vocalista que também está vaga.

Nessa última apresentação, The Testáveis tocou o que é até então sua especialidade: Músicas da banda Matanza além de ter feito cover de outras. Veja algumas músicas nos vídeos abaixo.

 

Vídeos:


The Testáveis - Blues - Thrash

 

 The Testáveis - Clube dos Canalhas (Matanza)

 

 

Alterar tamanho do player
Assista a este vídeo em uma nova janela

Basket Case

 

 Sacola, O Monstro !!

 

Atual formação de The Testáveis:

 

Rafael Pimenta: Baixo

 

Vinícius Alevato: Guitarra

 

Lucas de Mello (Sacola): Bateria

 

Pedro Ferreira:Empresário e letrista

 

A posição de vocalista ainda está vaga

 

 

Myspace

Comunidade Orkut:

Visitem já!

A banda reunida. Falta apenas um vocalista.

The Testáveis se apresentou no último sábado; dia 19/09/09

Escrito por ♪ Pєd®o ک. F. & às 14h09
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

13/09/2009


ESCAPE THE FATE


Escape The Fate é uma banda americana de pós-hardcore de Las VegasNevada, formada em 2004. O seu primeiro álbum "Dying Is Your Latest Fashion" (morrer é sua última moda), foi lançado em 26 de setembro de 2006. O seu segundo álbum,"This War Is Ours" (esta guerra é nossa) foi lançado em 21 de outubro de 2008.

História

 

Início e Dying is Your Latest Fashion (Morrer é a última moda)(2005-2006)

O Escape The Fate surgiu através do MySpace quando Ronnie Radke e Max Green estavam à procura de novos membros após a sua antiga banda ser desfeita. Os dois, pelo MySpace, encontram o guitarrista solo Bryan Money, que estava a procura de banda em Las Vegas, e o guitarrista base Omar Espinosa (ex-Lovehatehero).

O amigo e baterista Robert Ortiz entrou por ultimo completando o grupo. Em apenas um mês, os rapazes já eram sucesso em radios locais na cidade e assim rapidamente se tornaram sucesso no país. Em Setembro de 2005, eles ganharam um concurso de uma rádio local julgado porMy Chemical Romance, que deu a oportunidade de abrir um show da banda que estava em turnê com Alkaline Trio e Reggie and the Full Effect.

Em seguida, assinou contrato com a Epitaph Records. Sua estréia na gravadora foi com um EP de cinco canções intitulado, "There's No Sympathy For The Dead", em Maio de 2006. Após o lançamento do EP, o tecladista Carson Allen deixou a banda por motivos pessoais. Várias datas de turnês foram marcadas no verão seguido, incluindo várias datas sobre a Warped Tour.

Em 26 de setembro de 2006 a banda lançou seu primeiro álbum, "Dying is Your Latest Fashion".

 

Saída de Ronnie Radke e Omar Spinosa

Ronnie Radke largou a banda uma semana antes do lançamento de "Dying is Your Latest Fashion", por estar envolvido no assassinato de um jovem. Em 6 de novembro de 2006, a banda postou em seu MySpace afirmando que Radke estava de volta na banda. Radke também postou em seu próprio MySpace explicando sua ausência. A banda estava agendada para o co-manchete "A Take Action Tour", mas não foram, por motivos desconhecidos e assim foram substituídos por outra. Mais tarde foi revelado que Ronnie era dependente de drogas e tinha vários outros problemas. Ronnie Radke foi expulso da banda depois que foi condenado à prisão por envolvimento com drogas e uma luta que levou à morte de Michael Cook. Em uma entrevista concedida na prisão, Ronnie disse que os verdadeiros culpados seriam Chase Rader e Max Green, o primeiro por estar armado no momento da luta, e o segundo por ter sido causador da luta. Mas os dois foram absolvidos alegando legítima defesa. Apesar de Radke não ter puxado o gatilho, ele foi condenado a 4 anos em um centro de reabilitação em Las Vegas, não podendo deixar a cidade. Em 12 de junho de 2008 Ronnie deixou sua cidade para uma turnê sendo assim capturado no dia 16, por violação da sua condicional. Como afirmado por Max Green, "Primeiro, não poderíamos fazer turnê fora do país muito menos fora do estado." Sendo substituido por Craig Mabbit que havia sido expulso de sua banda por ter deixado a turnê para ver sua filha recém nascida. Ronnie Radke está fora da prisão e no Centro de Conservação Pioche. Ele está em uma nova banda chamada From Behind These Walls, que resentemente mudou o nome para Falling In Reverse.

Omar Espinosa deixou a banda durante a turnê Black On Black no final de 2007. Ele afirmou em seu MySpace que ele deixou a banda numa boa, e que ainda é amigo dos membros do Escape The Fate. Ele disse que continuará a apoiar os membros não importa o que aconteça, pois acredita que é uma grande banda.

[editar]Membros actuais



Vídeos:

 

Not Good Enough For The Truth In Cliche

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 10 Miles Wide:

Escrito por ♪ Pєd®o ک. F. & às 13h25
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

11/09/2009


DELTA ROCK RIO

 

Delta Rock Rio é uma banda em ainda em início de carreira. É composta por Marcio Hendrick (baixo e 2ª voz), Roberto Renault (bateria), Almir Neto (guitarra) e Bernardo Cardoso (Vocal e guitarra). Suas influências musicais são Alice In Chains, Caetano Veloso, The Doors, The Beatles. The Who, Stone Temple Pilots, Nirvana, Soundgarden. Legião Urbana, Detonautas Roque Clube, Caetano Veloso. Lenine. Pearl Jam. Entre Outros.

A banda, esse ano já fez uma apresentação em Ipanema, participou do festival Música In Cena, que foi um concurso para eleger a melhor banda e foi realizado no Teatro Thiago de Melo; irá participar do festival Bandas Megazine.

Delta Rock Rio chegou a gravar um CD, que em breve, será divulgado aqui no blog, caso haja a permissão dos integrantes da banda.

Myspace:

(Clique na imagem acima)

Escrito por ♪ Pєd®o ک. F. & às 18h15
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

07/09/2009


DEF LEPPARD

 

O nome original da banda formada por Joe Elliott (vocalista), Rick Savage (baxista), Pete Willis, Steve Clark (guitarristas) e Tony Kenning (baterista) foi Atomic Mass, mais tarde mudado para Deaf Leopard (leopardo surdo) e finalmente Def Leppard. Em 1979 a banda se estabilizou com Rick Allen na bateria e iniciou uma série de shows profissionais. Um single foi lançado de forma independente e a boa repercussão levou a um contrato com a Phonogram e à gravação do primeiro álbum, "On Through The Night", em 1980.

A início a sonoridade da banda era metal clássico inglês, o que a leva a ser considerada, junto com o Iron Maiden e Saxon, uma das bandas criadoras da chamada New Wave Of British Heavy Metal. Rapidamente, porém, passariam a compor músicas mais voltadas para o mercado de hard rock americano, o que levou a popularidade da banda a declinar rapidamente entre os fãs de heavy metal. O álbum "High'n'Dry" de 1981 já confirmava esta mudança. O guitarrista Pete Willis foi demitido da banda (por ser alcóolatra) e substituído por Phil Collen. "Pyromania" (álbum de 1983) foi na época seu maior sucesso comercial até então.

Em 1984 aconteceria o fato que viria a marcar a sua carreira: o baterista Rick Allen sofreu um grave acidente de automóvel em que perdeu um braço. Embora a alternativa óbvia fosse abandonar a banda e a carreira musical, Rick teve força de vontade e apoio suficiente para, menos de dois anos depois, estar novamente tocando no Def Leppard, com uma bateria feita especialmente para ele, com controles eletrônicos que permitem que execute grande parte do trabalho com os pés. Embora não seja um baterista excepcional (na realidade não havia sido mesmo quando tinha os dois braços) Rick Allen se adaptou perfeitamente a sua nova maneira de tocar. Após mais de três anos sem gravar em virtude do problema de Allen, o álbum "Hysteria" de 1987 se tornou um sucesso imediato.                                                                                                           

 

                                                                                                                                                                                                        (Rick Allen)

 

 

 

 

 

 

 

Em 1991 novamente a tragédia se abateria sobre a banda com a morte do guitarrista Steve Clark em virtude de coma alcóolico. Ironicamente a imagem de banda marcada pela tragédia e a divulgação dos problemas catapultava as vendas de discos. Antes de morrer Clark havia deixado gravados trechos que foram aproveitados no álbum "Adrenalize" de 1992. Para substituir Clark foi chamado o guitar-axe Vivian Campbell (que havia participado das bandas Dio e Whitesnake). Nos vários lançamentos que Nos vários lançamentos que se seguiram a banda não chegou a alcançar nem mesmo parte da repercussão que um dia tiveram.                                                                                                              

                                                                                                                                                                                               (Steve Clark) 

 

 

                                                                                                                                                                                                                

 

Século XXI


A produtora de filmes para a televisão a cabo estadunidense VH1, lança, no ano de 2001, o filme Hysteria: A História do Def Leppard. Como diz o título, o filme conta a história do grupo (ainda que parcialmente) no período de 1977 até 1986, com destaque para as tragédias de Rick Allen e Steve Clark. Após três anos sem gravar, já parece promessa demorarem tanto tempo a lançar um álbum, lançam em 2002 o álbum X. Este último talvez seja o que mais faça recordar em termos de som, os álbuns Hysteria eAdrenalize. Com o tema de lançamento "Now", elaboram um vídeo que retrata de certa forma a vida de mão para mão de uma camiseta dos Def Leppard, a sua própria vida e daqueles que dela fazem parte. Para não variar, mais uma poderosa balada que dá origem a um compacto, "Long Long Way To Go", que segundo Joe Elliot é desde a balada "Love Bites" (álbum Hysteria) a que mais exigiu de si, da sua voz. Em 2004 lançam um novo Best Of, com esse mesmo título, não sendo o mesmo lançado nos Estados Unidos da América. Em 2005, sai uma nova antologia: Rock of Ages: The Definitive Collection. Finalmente, em 2006, lançam o álbum Yeah!, com versões de seus velhos ídolos. Entre as faixas está "No Matter What", da banda inglesa Badfinger, que, assim como os Def Leppard, foram marcados por uma história trágica com dois de seus membros - Pete Ham e Tom Evans - tendo cometido suicídio.

A banda terminou recentemente uma tourné em parceria com a banda Journey. Actualmente, segundo o seu sítio oficial, encontram-se unidos como sempre pela amizade, pela música. O novo álbum, com lançamento mundial em 18 de março de 2008, chama-se Songs from the Sparkle Lounge.

 

Vídeos:

Rock Of Ages:

 

                                                                                                            Photograph:                  

 

Foolin:

Escrito por ♪ Pєd®o ک. F. & às 09h50
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

05/09/2009


VÍDEOS DE AVENGED SEVENFOLD

"Almost Easy":

 

 

"Bat Country":

"A Little Piece Of Heaven":

 

 

 

"Afterlife":

 

Escrito por ♪ Pєd®o ک. F. & às 19h50
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

METALLICA NO BRASIL

 



O Metallica anunciou que pretende extender sua turnê até 2010 e anuncia que quer ir para todos os cantos do mundo. O baterista Lars Ulrich não citou por quais países a banda vai passar, mas afirma que já tem shows confirmados até agosto de 2009 e está negociando mais apresentações até o ano seguinte.

"Estamos esperando para que alguns países sejam formalizados como nações para que possamos ser a primeira banda a tocar lá", declarou Ulrich cheio de ironia. "E estamos esperando que as calotas polares se estabilizem para irmos para lá também. E há conversas sobre outros planetas". Com planos tão grandiosos, será que o Brasil estará na rota da banda?

A turnê da banda, que atualmente está nos Estados Unidos, tem um repertório generoso em relação ao material mais clássico da carreira e cinco músicas do último álbum do grupo, Death Magnetic. Apesar das mudanças eventuais no set list, o show sempre termina com "Seek and Destroy", de 1983. "Ter um pouco de previsibilidade no fim do show dá às pessoas a chance de começar a pensar em vestir os casacos e tentar lembrar em qual porcaria de estacionamento deixou o carro".

O Metallica já passou pelo Brasil em 1989, 1993 e 1999. Em 2003, a banda tinha shows agendados em São Paulo e Rio de Janeiro, mas cancelou as datas por esgotamento físico dos integrantes.

Obs: Essa notícia foi divulgada em dezembro de 2008. Não ouve show do Metallica em Agosto e não há, por enquanto, nenhuma previsão de que a banda venha ainda nesse ano ao Brasil.

Vamos torcer para que eles venham!

 

Escrito por ♪ Pєd®o ک. F. & às 17h02
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

30/08/2009


CRÍTICAS MUSICAIS

Yahoo! Notícias

A música como forma de protesto


 Sex, 14 Ago, 05h08

Por Andreas Kisser, colunista do Yahoo! Brasil

 

A música já é conhecida por ser utilizada para mensagens de protesto e reivindicações, sempre teve o poder de atingir as massas e mudar o curso da História.

Bob Dylan foi um dos primeiros artistas a escrever letras mais sérias, politizadas num período pós Segunda Guerra, num país onde as pessoas estavam acordando para um mundo mais real, depois da euforia da vitória. Letras que contestavam a atitude do povo, do governo e da mídia. Ele inspirou e ainda inspira várias gerações, não só nos Estados Unidos, mas em todo o mundo. A música era muito ingênua antes de Bob Dylan, era inofensiva.

Os Beatles, principalmente John Lennon, tiveram o "aval" de Bob para falar e expressar suas ideias, filosofias e opiniões. Nos anos 60, protestos contra a Guerra do Vietnã, no EUA, e pela Paz, no mundo, espalharam-se pelo planeta, mudando a forma como a mídia iria cobrir as futuras guerras dos norte-americanos.

Jimi Hendrix fez o seu protesto no festival Woodstock, que neste fim de semana completa 40 anos. Foi um marco, a performance mais lembrada e citada do festival. Ele "falou" com sua guitarra. Antes de começar "Purple Haze", ele improvisou o hino nacional norte-americano, incluindo efeitos especiais com a alavanca e pedais delay, wah-wah e o famoso Big Muff, imitando ataques aéreos e de bombas Napalm - que era usadas na guerra do Vietnã - caindo. Foi inesperado, intenso, pesado e muito inspirador. O mundo não foi mais o mesmo depois de Woodstock.

Mas além destes exemplos de música com teor de protesto, o que me instigou a escrever este texto foi um vídeo que eu vi esta semana. Um exemplo espetacular de como a música pode atingir lugares inimagináveis. O vídeo é um clipe de uma banda de country contando uma história baseada em fatos reais, aliás, é a história propriamente dita contada em detalhes.

O clipe conta que como é difícil para uma banda viajar de avião hoje em dia, sendo músico e tendo que despachar os instrumentos no check-in. Instrumentos únicos, caros e que sempre têm um valor sentimental, são quase como filhos, manejado com todos os mimos e atenção. Enfim, o violão do vocalista, Dave Carroll, chega ao destino totalmente destruído, isso porque estava em um estojo duro, geralmente resistente a leves pancadas. A compania aérea não cuidou do violão como um item frágil, com todo o cuidado que merece. Atiraram o estojo como se fosse um saco de batatas, não tiveram o mínimo respeito ou preparo para lidar com o estojo.

Dave lutou pelos seus direitos e por uma indenização por meses, acho que mais de um ano, pelos caminhos certos, legais e claro, muito burocráticos, até que no fim disseram que não podiam fazer nada e que ele teria que arcar com o prejuízo de U$ 3500.

Dave resolveu então contar a sua história através de uma música e um clipe. Postou na internet e tem quase 5 milhões de hits. Incrível! A música é muito bem feita e executada, conta a história com clareza e humor. Depois deste sucesso, a companhia aérea entrou em contato com Dave querendo pagar todos os prejuízos e pedindo para que ele retirasse o video do ar. É claro que Dave não aceitou a proposta e pediu para que mandasse o dinheiro a uma instituição de caridade. Fantástico!

É espetacular ouvir o que a música tem a dizer, especialmente na luta contra o abuso de poder e a arrogância de algumas grandes empresas que nos fazem escravos de seus desejos. O brasileiro não tem muito o costume de protestar, reinvidicar o seus direitos, ser cidadão. Que isso possa nos inspirar a ser mais criativos no combate a estes abusos. Na mídia, no cotidiano, no trabalho, no Senado...

A nossa conivência é o que torna esses abusos possíveis!

 

Abraço
Andreas Kisser

Outras críticas:

Metallica

Música "Master of Puppets"

Green Day 

 

A banda Green Day vem fazendo fortes críticas ao governo dos Estados Unidos. Isso ficou explícito nos últimos dois álbuns do grupo que fizeram e fazem ainda muito sucesso. São "American Idiot" e "21st Century Breakdown".

 

Veja a seguir algumas músicas da banda com esse tema:

Green Day - American Eulogy - "21st Century Breakdown"

Tradução: http://vagalume.uol.com.br/green-day/american-eulogy-traducao.html

Green Day "Jesus Of Suburbia" - "American Idiot"

Tradução: http://vagalume.uol.com.br/green-day/jesus-of-suburbia-traducao.html

Pennywise

 

Música: Fox Tv

Tradução: http://vagalume.uol.com.br/pennywise/fox-tv-traducao.html

 

Música: Fuck Authority.

http://vagalume.uol.com.br/pennywise/fuck-authority-traducao.html

 

Outra banda que também fez uma crítica interessante foi a banda punk NOFX com a música "Dinosaurs Will Die" que vocês devem ter visto em umas das postagens anteriores.

 

Daqui a pouco voltamos com mais Rock Forever!

 

Um abraço!

Escrito por ♪ Pєd®o ک. F. & às 08h09
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

18/08/2009


AC/DC

 

Biografia e Discografia AC/DC

O AC/DC foi uma das bandas mais importantes para o rock and roll . Tudo começou em 1973, Sydney, na Austrália, quando os irmãos Angus Young e Malcolm Young resolveram formar uma banda; no início começaram a tocar com Dave Evans nos vocais, mas ele logo deixou o grupo e foi substituído por Bon Scott, motorista da banda na época. A formação veio a se completar em 1974, com Bon Scott (vocais), Mark Evans (baixo) e Phil Rudd (bateria). Uma das marcas mais conhecidas da banda é a performance do guitarrista solo Angus Young, que utiliza um uniforme escolar nos shows, e desloca-se pelo palco com um passo conhecido pelos fãs como "duck walk". Esta é uma alusão ao grande Chuck Berry, que tanto Angus Young como Malcolm Young tem como ídolo.
No ano 1975 lançaram T.N.T. e em 1976, Dirty Deeds Done Dirt Cheap. Esses dois álbuns conseguiram a atenção da mídia e conquistaram milhares de fãs. O AC/DC saiu em sua primeira turnê mundial (Reino Unido e Europa). Antes, porém, re-lançaram o álbum High Voltage, incluindo tanto as faixas do álbum australiano de 1975, como também as do álbum T.N.T..

Let There Be Rock saiu em 1977, e mudanças ocorreram no AC/DC: saiu o baixista Mark Evans e Cliff Williams entrou em seu lugar. No ano seguinte saíram dois novos álbuns: Powerage e o ao vivo If You Want Blood You've Got It dois grandes álbuns. Em 1979, é lançado Highway to Hell, o último com Bon Scott nos vocais. Foi graças a este álbum que a banda ganhou a falsa fama de satanista. Na verdade Highway to Hell é uma sátira a Stairway to Heaven do famoso Led Zeppelin. Também era como Angus se referia a turnê do ano anterior. O single Highway to Hell chegou ao top 20 no Reino Unido e ao top 10 nos Estados Unidos.
Túmulo de Bon Scott, Fremantle Cemetery, Austrália

Em 19 de fevereiro de 1980, morre tragicamente o vocalista Bon Scott, afogado em seu próprio vômito depois de ingerir bebidas alcóolicas em excesso. A perda marcou profundamente a banda. Quando tudo parecia ser o fim, os pais de Bon Scott deram a maior força para AC/DC continuar, afinal eles eram uma banda jovem e tinham muito para oferecer. Então, Brian Johnson foi convidado por Malcolm e Angus Young que assistiram um show com o antigo vocalista Bon Scott e que Brian Johnson estava se apresentando com sua banda, Geordie. Brian Johnson chegou atrasado na audição onde foi escolhido como novo vocalista, mas quando começou a cantar, o sorriso renasceu nos rostos de Angus e Malcolm pela primeira vez desde a morte de Scott. No mesmo ano, o AC/DC voltou com tudo, lançando Back in Black, álbum que foi uma homenagem (até no nome) a Bon, vendendo mais de 20 milhões de cópias só nos E.U.A. na época de seu lançamento. Back in Black é hoje o segundo disco mais vendido da história (42 milhões de cópias), só perdendo para Thriller (54 milhões de cópias), de Michael Jackson.

Em 1981, foi lançado For Those About to Rock We Salute You. Em 1983 é gravado Flick of the Switch, onde a banda sofreu outra mudança: Phill Rudd deixou a banda por problemas de alcolismo e drogas e foi substituído por Simon Wright, um garoto de 20 anos. Com esta formação foram lançados mais três álbuns, Fly on the Wall de 1985, Who Made Who em 1986 e Blow Up Your Video em 1988. Em 1989 Simon deixou o AC/DC para tocar com Ronnie James Dio, sua saída foi amigável e em seu lugar entrou Chris Slade. Até o início dos anos 90, o AC/DC vendeu mais de 80 milhões de álbuns em todo o mundo!

No ano seguinte, a banda ganhou o Grammy de melhor álbum de Hard Rock com The Razor's Edge de 1990. Em 1992 foi lançado o álbum Live, gravado em agosto de 1991, no Castle Donnington. O álbum Ballbreaker de 1995 contou com a volta do baterista Phil Rudd. Em novembro de 1997 saiu um box com 5 CD's, intitulado Bonfire, um tributo a Bon Scott.

Finalmente, em 2000, a banda lança mais um álbum, "Stiff Upper Lip", cuja faixa-título chega ao primeiro lugar nas paradas das rádios americanas. O álbum torna-se sucesso absoluto de vendas, e consegue inclusive chegar ao topo do podium da Billboard.

Em 2004 o vocalista do grupo Brian Johnson assinou as canções de um musical sobre Helena de Tróia trazendo Dolores O'Riordan, do Cranberries no papel principal. O disco “Back in Black” relançado em 2003, conquistou o prêmio da Associação da Indústria Fonográfica nos Estados Unidos, depois de ter vendido mais de 20 milhões de cópias.

Em 2005 o grupo colocou nas lojas o DVD duplo “Family Jewels” e anunciou seu retorno aos estúdios em breve para as gravações da próxima bolacha da carreira.

Em 2007 é lançado outro DVD, Plug me In que já bateu diversos recordes de vendas desde seu lançamento.

Em 2008, após 8 anos de jejum, foi lançado no dia 20 de outubro o novo álbum intitulado Black Ice. Aclamado pela crítica como sendo o álbum mais consistente da banda desde o clássico Back in Black, o disco foi o responsável pelo retorno do AC/DC ao topo da Billboard, (o que havia acontecido apenas uma vez, em dezembro de 1982, com o álbum For Those About to Rock We Salute You, e converteu-se em um dos maiores sucessos comerciais do ano, tendo vendido cerca de 800 mil cópias em sua semana de estréia, só nos EUA, e 5,0 milhões em todo o mundo. Além dos EUA, Black Ice estreou no topo das paradas em outros 28 países, dentre os quais Reino Unido, Alemanha, Canadá, Argentina, Japão, Austrália, Bélgica, Finlândia e Itália. O sucesso de Black Ice fez alavancar as vendas de outros clássicos da banda, tanto que na semana seguinte a sua estréia, o TOP POP Catolog da Billboard, listou 5 clássicos do AC/DC em seu top 10: Back in Black, High Voltage, Highway to Hell, Dirty Deeds Done Dirty Cheap e Live, respectivamente primeiro, terceiro, quarto, quinto e sétimo colocados.

Fonte: wikipedia

Origem: Sydney
País: Austrália

Membros Atuais:
Brian Johnson - vocal (desde 1980)
Angus Young - guitarra solo (desde 1973)
Malcolm Young - guitarra rítmica (desde 1973)
Phil Rudd - bateria (1975-1983 e desde 1994)
Cliff Williams - baixo (desde 1977)

Ex-Membros:
Bon Scott - vocal (1974-1980) (falecido)
Mark Evans - baixo (1975-1977)
Simon Wright - bateria (1983-1989)
Chris Slade - bateria (1989-1994)
Dave Evans - vocal (1973-1974)
Paul Matters - baixo (1975)
Larry Van Kriedt - baixo (1973-1974 e 1975)
George Young - baixo (1974-1975)
Tony Currenti - bateria (1974-1975)
Peter Clack - bateria (1974-1975)
Rob Bailey - baixo (1974-1975)
Noel Taylor - bateria (1974)
Neil Smith - baixo (1974)
Colin Burgess - bateria (1973-1974)

Outros:
Dennis Laughlin (vocais) 1973-1975 , era manager da banda, substituía Dave Evans ocasionalmente.
B. J. Wilson (bateria) 1983, ex-baterista da banda Procol Harum, foi trazido para terminar o trabalho de Phil Rudd que tinha deixado a banda durante as gravações do álbum Flick of the Switch, mas seu trabalho não foi usado.
Stevie Young (guitarra base) 1988, tocou na tourneé Blow Up Your Video substituindo seu tio Malcolm Young que estava se tratando por alcoolismo naquele período.
Paul Greg (baixo) 1991, substituiu o baixista Cliff Williams durante um breve período durante a fase americana da tourneé daquele ano.

Álbuns


1975 - High Voltage [Australia Only]

1975 - T.N.T.

1976 - High Voltage

1976 - Dirty Deeds Done Dirt Cheap [Australia Only]

1976 - Dirty Deeds Done Dirt Cheap

1977 - Let There Be Rock

1978 - Powerage

1978 - If You Want Blood You've Got It

1979 - Highway to Hell

1980 - Back In Black

1981 - For Those About to Rock We Salute You

1983 - Flick of the Switch

1984 - '74 Jailbreak

1985 - Fly on the Wall

1986 - Who Made Who

1988 - Blow Up Your Video

1990 - The Razors Edge

1992 - AC/DC - Live [Collector's Edition] Disc1

1992 - AC/DC - Live [Collector's Edition] Disc2

1995 - Ballbreaker

1997 - Live from the Atlantic Studios

2000 - Stiff Upper Lip

2008 - Black Ice



Escrito por ♪ Pєd®o ک. F. & às 18h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

13/08/2009


VAMOS MUDAR O MUNDO!

 

Esse é um texto excelente que foi escrito por uma pessoa a qual eu admiro muito, pela vontade de tentar fazer alguma coisa para mudar o mundo. Enquanto todos nós estamos parados sem fazer nada ela está insatisfeita - com toda razão - com os problemas do mundo e deseja batalhar para resolvê-los. 

Esse poema, se bem aproveitado, daria uma boa letra de música.

 

Desabafo

 

Neste mundo de incertezas

De egoísmo, raiva e impunição

Eu me encontro solitária*

Na tarefa eterna de buscar solução

Para resolver os problemas do mundo

Que inquietam meu coração

 

Cada dia que passa

Fico mais extasiada*

Diante do descaso das pessoas

Perante tanta desgraça

Às vezes eu me pergunto

Se somente uma pessoa seria capaz

De acabar com a injustiça no mundo

Aí é que chego a conclusão

De que reclamar sem fazer nada

É pura ilusão

E não resulta em solução

 

Por isso eu admito

Vou cumprir meu objetivo

De salvar vidas perdidas

Nesse deserto de ilusão

Mesmo que me custe a vida

Não calarei meu coração

 

 

(Raquel H. P.)

 

 

Parabéns Raquel! Estarei disposto a ajudá-la nesse seu objetivo.

Pode contar comigo para o que você precisar. 

 

Visite o blog Vamos Mudar o Mundo: http://raquelhaddad.blogspot.com

 

Escrito por ♪ Pєd®o ک. F. & às 21h12
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

09/08/2009


PRODUTOS KISS

Kiss: 34 anos de merchandising em 25 imagens

Confira a última novidade do grupo de rock mais marqueteiro do planeta: chocolates para o Halloween. E veja ainda uma retrospectiva dos produtos mais exóticos da banda


O Kiss ficou famoso em meados dos anos 70 com seu hard rock pegajoso, visual composto por armaduras e maquiagens. Logo, a comercialização de produtos da banda se apresentou como um grande negócio.

Eles nunca se limitaram ao merchandising básico nos quais todos os outros grupos de rock se focavam, como camisetas e bonés. O primeiro produto da banda que se destacou no mercado foram os bonecos do Kiss, uma versão cabeluda do Ken (marido da Barbie) com maquiagem e roupas iguais às do quarteto (no destaque). Depois a banda invadiu o mundo dos quadrinhos com uma série de comics chamada Kiss Psycho Circus, além de ter colocado sua marca em caixões, camisinhas, bebidas alcoólicas, motocicletas, jogos de tabuleiro, produtos esportivos, muitos tipos de brinquedos e produtos alimentícios, incluindo uma rede de casas de café.

Este ano, a novidade entre os itens promocionais é uma edição especial dos chocolates M&M's. A série limitada de doces deverá sair em outubro, de olho na grande procura de guloseimas para o feriado do Halloween, o qual a banda passará em Nova Orleans, tocando no Voodoo Festival. O Kiss também se prepara para lançar seu próximo álbum na mesma época, entre outubro e novembro.

Veja aqui as imagens dos M&M's do Kiss e muitas outras fotos de merchandising lançados no passado.

 

 

Escrito por ♪ Pєd®o ک. F. & às 22h17
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

07/08/2009


VÍDEOS DE NOFX

NOFX - "Dinosaurs Will Die"

 

 

NoFX - "Seeing Double at The Triple Rock"


 

 

NOFX -  Don't Call Me White 


Escrito por ♪ Pєd®o ک. F. & às 19h58
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

NOFX

 

NOFX é uma banda norte-americana de punk rock formada por Erik Sandin (bateria), Eric Melvin (guitarra) e Mike Burkett (a.k.a Fat Mike baixo e vocal) em 1983. O som da banda é diverso, utilizando elementos de skate punkska punk e hardcore punk. Suas canções geralmente abordam temas como política, sociedade, racismo, a indústria da música e religião, com doses humorísticas.

História


 

O nome NOFX teve origem numa outra banda punk chamada Negative FX. Baseada nisso, a banda decidiu compor o nome com No FX (No Effects - Sem Efeitos), pois o som da banda não possuía nenhum efeito sonoro, extremamente comum nas músicas da década de 80.

A partir de 1986, Fat Mike torna-se também vocalista da banda e em 1991 surge El Hefe como segundo guitarrista, formação que se mantém até hoje. Com a entrada de El Hefe alterou-se a sonoridade, passando a ter elementos de ska.

A banda consegue pela primeira vez notoriedade nos Estados Unidos em 1991 com o álbum "Ribbed". O sucesso veio em 1992 com o álbum "White Trash, Two Heebs And A Bean", repetindo a proeza dois anos mais tarde com o álbum "Punk In Drublic" que é até hoje o maior recorde de vendas da banda, com mais de um milhão de cópias vendidas. A MTV começou então a pedir vídeos e as grandes gravadoras ofereciam contratos, mas os músicos mantiveram os seus príncipios e recusaram as ofertas.

Em 1996 é lançado o álbum "Heavy Petting Zoo" com uma sonoridade ligeiramente diferente, mesmo assim conseguindo atrair o público. O álbum "So Long And Thanks For All The Shoes" de 1997 volta às origens e inclui elementos ska, sendo considerado o melhor àlbum pelos próprios membros da banda, embora não consiga repetir o sucesso dos álbums anteriores. Com "Pump Up The Valuum"(2000) surge um trabalho sem qualquer influência ska.

O álbum seguinte, "War On Errorism" (Maio de 2003), é lançado pela Fat Wreck Chords criticando a presidência de George W. Bush. Em2004 surge o Best-of intitulado "The Greatest Songs Ever Written (By Us)" editado pela Epitaph. Em 2006, lançaram, também pela Fat Wreck Chords o álbum Wolves In Wolves' Clothing, com um foco menor em questões políticas e maior contra as religiões.

Passagem pelo Brasil

Em 2006, a banda NOFX deu início a um tour mundial, com um intuito principal de tocar em lugares aonde o punk norte-americano não possui popularidade.

Além de realizar diversos shows em localidades ditas 'estranhas' ao punk, NOFX tocou também em cidades brasileiras. Foram elas: Rio de Janeiro (dia 29/09, no Claro Hall), Curitiba (dia 30/09, no Master Hall), São Paulo (dia 01/10, no Credicard Hall) e Porto Alegre (dia 2/10, noPepsi on Stage).

 


 

 

Escrito por ♪ Pєd®o ک. F. & às 19h46
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

31/07/2009


NOVO ÁLBUM DO GREEN DAY (COM DOWNLOAD)

21st Century Breakdown

21st Century Breakdown (em portuguêsColapso do Século XXI) é o título do oitavoálbum de estúdio da banda de rock Green Day. O álbum foi lançado em 15 de maiode 2009 e foi produzido por Butch Vigbaterista do Garbage.

O disco é dividido em três atos, "Heroes and Cons", "Charlatans and Saints" e "Horseshoes and Handgrenades" e acompanha um casal de jovens, Christian eGloria, na miséria e esperança do novo século. Musicalmente, o disco continua o estilo opera rock do seu antecessor, American Idiot. Mike Dirnt disse à revista Alternative Press que as músicas "falam umas com as outras assim como as músicas de Born to Run. Não sei se é o que chamariam de 'álbum conceitual', mas há um fio que conecta tudo". A MTV americana comparou o projeto com outros mais clássicos, como The Who.

Como seu antecessor, o álbum é como uma narrativa. A banda diz que o disco acompanha o casal enquanto ele "lida com a sujeira que o nosso 43° presidentedeixou…". A Rolling Stone afirmou que o novo álbum é "ainda mais ambicioso que American Idiot" e "um disco com ideais punk, pesado no conteúdo, mantendo a sensação do rock clássico". A banda começou a mixar as 18 novas faixas emarço.

DOWNLOAD DO CD: GREEN DAY - 21ST CENTURY BREAKDOWN

Download Rapidshare
Download Megaupload
Download 2Share

Clique aqui para ver as faixas do CD

Escrito por ♪ Pєd®o ک. F. & às 08h02
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, RIO DE JANEIRO, RECREIO DOS BANDEIRANTES, Homem, de 15 a 19 anos, Portuguese, Spanish, Música, Livros
MSN -

UOL

follow o0PedroSF0o at http://twitter.com

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil

Histórico